Cidade Sagrada | 16Fev2010 08:00:00

Cresci na profundidade de uma água límpida e

Cristalina, entre as partículas de fragmentos inertes luminosos,

Que alimentam a movimentação dos bichos marinhos

 Em toda a sua cidade permanentemente

Armados e vigilantes com os seus dentes cerrados.

Pelos mesmos terem vindo a ser ameaçados

De represálias,

Através de numerosos telefonemas anónimos,

Por uma força especializada

De monstruosas raposas

Mortíferas voadoras.

Em comunicado através da imprensa

Escrita e falada fazem saber que não temem

Represálias de espécie alguma,

Venham elas de onde vierem.

Que todos seus irmãos da cidade sagrada estão

Preparados para lhes matarem a fome,

Seja ela de que tipo for.

                                                  


Partilhar:

Artigos Relacionados


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.

Procura
Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Idiomas
Sondagens
Gosta Do Surrealismo?
Sim
Não
Não sei o que isso é
Outras Visitas

lusopoemas

poesia

as-artes

afmach

rodinha26

gov

7pecados
Últimas Galeria





Anedotas
Onde é que tu estavas? - pergunta a mãe à menininha.
- No quarto, a brincar aos médicos com o Paulinho. Ele era o médico e eu era a doente.
A mãe dá um grito e um salto da cadeira:
- Aos médicos!?!?!?!
- Médicos da Segurança Social, mãe... ele nem me atendeu!
Visitas Recentes