Sementes | 17Ago2011 16:00:25

 

Aqui passou um velhinho

Caminhando pelas ruas e caminhos

Transportando seus espinhos

Por este país sem fim.

Vindo em seu auxilio um netinho

Dizendo-lhe... meu avozinho

Vou-lhe contar uma historia

Mas sinto meus labios secos, tão secos

Que nem consigo falar-lhe.

Somos o fruto duma árvore

Esquecida, ignorada

Por não levar a semente dourada

Como muitos que eu conheço

Que reluz só na fachada

Mas que no seu interior

São frutos ocos, tão ocos, tão ocos

Que jamais produzem nada.


Partilhar:


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.

Procura
Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Idiomas
Sondagens
Gosta Do Surrealismo?
Sim
Não
Não sei o que isso é
Outras Visitas

lusopoemas

poesia

as-artes

afmach

rodinha26

gov

7pecados
Últimas Galeria





Anedotas
Um jovem pai chegou ao pediatra, bastante aflito, com uma criança no colo:
- Doutor, o meu filho está com seis meses e não abre os olhos!
O médico examinou bem e disse para o pai:
- Quem deve abrir os olhos é o senhor, meu amigo. O rapaz é filho de japonês.
Visitas Recentes