Asfalto Ardente | 09Fev2010 07:50:00

No asfalto ardente, em direcção à montanha, há

Uma cidade dentro de um túnel onde se vêem

Bichos sentados à mesa com os seus filhos mais

Novos ao colo, que se encontram de visita à cidade.

Nas ruas, vêem-se meninos a receberem aulas

De filosofia e psicologia.

No principal centro da cidade, vêem-se bancos

Em arranha-céus, a prestarem serviços de amor e sexo

Às toneladas.

No recreio das aulas, vêem-se crianças a brincar

Com bolas de diamante.

Nos estabelecimentos hospitalares, vêem-se

Golfinhos a prestarem serviço médico aos seus

Utentes.

Nas ruas e avenidas, vêem-se canoas terrestres

 A servirem de transporte à sua população.

Pela noite fora, movem-se lampreias, na venda

De revistas e jornais.

Nas praias, vêem-se peixes nadadores-salvadores,

Em vigilância permanentemente aos banhistas.

Em cada esquina, há uma rola brava com um filho

A seu lado, a manter a segurança na cidade.

Nos jardins, vêem-se poetas no cimo de árvores

Borracheiras, olhando um bando de passarinhos

Luminosos.

Num castelo, vêem-se letrados e juízes, assistindo a

Um imenso formigueiro a devorar a cabeça de um

Rei.

                                              

Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1535)

1 a 1 de 1 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |
Procura
Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Idiomas
Sondagens
Gosta Do Surrealismo?
Sim
Não
Não sei o que isso é
Outras Visitas

lusopoemas

poesia

as-artes

afmach

rodinha26

gov

7pecados
Últimas Galeria





Anedotas
A sogra vai visitar a filha e o genro. Toca a campaínha, o genro abre a porta e exclama:
- Sogrinha! Há quanto tempo que a senhora não aparece! Quanto tempo vai ficar desta vez?
- Oh, meu genro, até vocês ficarem cansados de mim!
- Sério? Não toma nem um cafezinho?
Visitas Recentes