Sementes | 17Ago2011 16:00:25

 

Aqui passou um velhinho

Caminhando pelas ruas e caminhos

Transportando seus espinhos

Por este país sem fim.

Vindo em seu auxilio um netinho

Dizendo-lhe... meu avozinho

Vou-lhe contar uma historia

Mas sinto meus labios secos, tão secos

Que nem consigo falar-lhe.

Somos o fruto duma árvore

Esquecida, ignorada

Por não levar a semente dourada

Como muitos que eu conheço

Que reluz só na fachada

Mas que no seu interior

São frutos ocos, tão ocos, tão ocos

Que jamais produzem nada.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (702)

1 a 1 de 1 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |
Procura
Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


Idiomas
Sondagens
Gosta Do Surrealismo?
Sim
Não
Não sei o que isso é
Outras Visitas

lusopoemas

poesia

as-artes

afmach

rodinha26

gov

7pecados
Últimas Galeria





Anedotas
Um Cristão, um Muçulmano e um Ateu estavam a jogar às cartas quando a luz acaba!
Diz o Cristão:
- Deus na sua imensa sabedoria e amor nos trará de volta a Luz, Amen!
Diz o muçulmano:
- Alá é grande! Louvado seja Alá! Dá-nos luz, Alá!
De repente a luz volta! O ateu foi mudar o fusível.
Visitas Recentes